IATF 16949:2016 – Sistemas de Gestão da Qualidade e Core Tools – Ref.ª SGQ16949

203.00

Catim

Partilhar

Descrição


Idade Mínima: 0
Idade Máxima: 0
Situação:
Habilitações Mínimas:
Habilitações Específicas:


No final da ação os formandos deverão ser capazes de:
1. Conhecer os princípios e boas práticas incutidas pela IATF 16949, implicações e benefícios da sua implementação;
2. Compreender os pontos comuns e diferenciadores da IATF 16949 relativamente à ISO 9001:2015;
3. Definir e implementar um sistema de gestão da qualidade segundo o referencial da indústria automóvel e das empresas que fornecem esta indústria e requisitos específicos de clientes do setor.


OBJETIVOS E PRINCÍPIOS DA IATF 16949: ENQUADRAMENTO HISTÓRICO E EVOLUTIVO DO REFERENCIAL
REQUISITOS IATF 16949:2016 – ANÁLISE DE REQUISITOS NO CONTEXTO DA IATF 16949
– Conceitos: termos e definições para a indústria automóvel
– Contexto da Organização
– A análise de contexto organizacional, expectativas das partes interessadas e pensamento baseado no risco
– a abordagem de processos: conformidade de processos e de produto
– a abordagem da gestão do risco e das oportunidades no SGQ, como base para o alinhamento à IATF 16949:2016
– Planeamento
– Liderança
– Suporte
– Operacionalização
– Avaliação do desempenho
– Melhoria
ABORDAGEM ÀS PRINCIPAIS FERRAMENTAS (METODOLOGIAS) DA INDÚSTRIA AUTOMÓVEL (CORE TOOLS)
IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES DA INTEGRAÇÃO DAS METODOLOGIAS E PRÁTICAS RECOMENDADAS PELA IATF 16949
– APQP – Advanced Product Quality Planning, Planeamento Avançado da Qualidade do Produto
– PPAP – Production Part Approval Process, Processo de Aprovação do Produto)
– 8D – Eight Disciplines of Problem Solving e 5 Why’s
– FMEA – Failure mode and effects analysis, Análise modal de falhas e efeitos
– Plano da Qualidade
DEFINIÇÃO DO PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DA IATF 16949
– Regras IATF
– A etapa de Avaliação: auto-avaliação/gap analysis; auditoria(s) interna(s); fontes de informação relevantes quanto ao grau de cumprimento de requisitos de clientes, entre outros
EXERCÍCIOS E CASOS PRÁTICOS



1 – Formação presencial/em sala (turma)


Avaliação contínua, através de indicadores como participação, interesse demonstrado, capacidade de aprendizagem. Provas e/ou trabalhos propostos pelo formador e realizados no decorrer da formação.


É emitido um Certificado de Frequência de Formação Profissional, aos formandos que frequentem 75% da carga horária total da ação.


 

Partilhar