115/F – Formação de Mediadores e Formadores EFA

0.00

Conclusão

Partilhar

Descrição


Idade Mínima: 0
Idade Máxima: 0
Situação:
Habilitações Mínimas:
Habilitações Específicas:


Pretende-se estabelecer uma base sólida de conhecimentos teóricos e práticos que permita uma adequação das competências dos formandos as necessidades do mercado na área dos cursos de Educação e Formação de Adultos. Neste sentido, no final da formação os formandos devem atingir os seguintes objetivos pedagógicos:
– Enquadrar os cursos EFA na oferta formativa do Sistema Educativo Português;
– Descrever as características do modelo identificando os seus objetivos, as suas virtualidades e contexto de aplicação;
– Operacionalizar os métodos, técnicas e instrumentos, bem como as formas de avaliação das aprendizagens e validação dos conhecimentos e competências.
– Caracterizar o Perfil do Mediador, identificando as competências exigidas no atual quadro normativo.


Módulo 1 – Enquadramento dos Cursos EFA
Básico e Secundário;
Diferenças e Semelhanças entre os cursos EFA e o RVCC;
Destinatários;
Enquadramento Legal dos cursos EFA.
Módulo 2 – Características do Modelo EFA
O Referencial de competências chave;
O RVC como metodologia operacional do modelo EFA
Estrutura dos Cursos EFA;
Temas de Vida;
Portfólio Reflexivo de Aprendizagens (PRA);
Constituição da Equipa Técnico-Pedagógica;
Dossier Técnico Pedagógico.
Módulo 3 – Perspetiva andragógica da aprendizagem aplicada ao Modelo EFA
Perspetiva andragógica da aprendizagem
Princípios da educação de adultos
Modelos e modos de aprendizagem
Técnicas e Métodos de aprendizagem
Instrumentos de avaliação:
a) Balanço de competências;
b) Portefólio de competências

Módulo 4 – Perfil do Mediador
Competências e capacidades;
Competências psico-sociais;
Competências técnicas e pedagógicas;
Prática simulada/Trabalhos Prático



1 – Formação presencial/em sala (turma)


A avaliação dos formandos prende-se com o desempenho dos mesmos ao longo da ação de formação. Trata-se de uma avaliação contínua, em que o formando é avaliado de acordo com determinados parâmetros de avaliação:

– Responsabilidade – verificar se o formando tem sentido de responsabilidade, em termos de desempenho das atividades propostas e apresenta uma postura adequada, durante a ação de formação;
– Pontualidade – cumpre os horários estabelecidos em todas as sessões, ao longo da Ação de Formação;
– Assiduidade – apenas é permitida 1,5 horas de falta que equivale a 10% do total de horas do curso;
– Participação – mostra interesse e intervém a propósito e de forma adequada, colaborando com motivação e empenho na dinamização das atividades formativas, contribuindo para o sucesso da ação.
– Integração no Grupo – comunica com os colegas, formadores e outros intervenientes, demonstrando tolerância e espírito de equipa, privilegiando o domínio sócio – afetivo.
– Domínio do assunto – aplica de forma eficaz, com segurança e clareza os conhecimentos adquiridos em casos práticos, principalmente em novas situações.
– Resultados Obtidos – Face à avaliação das aprendizagens verificadas em todos os Módulos.
Em todos os módulos são realizados trabalhos individuais e de grupo.


A emissão do certificado de formação profissional do curso depende da avaliação positiva em todos os módulos e desde que não exceda o limite de faltas.

Suficiente Bom Muito Bom
50% a 69% 70% a 89% 90% a 100%

Declaração de Frequência

Para os formandos que não obtenham o mínimo de 50% de aproveitamento final e/ou ultrapassem o limite de faltas ou ainda que não desenvolvam os trabalhos práticos propostos durante a formação prática simulada.


 

Partilhar