Técnico de Higiene e Segurança Alimentar

480.00

Forseguro

REF: 12972 Categorias: ,
Partilhar

Descrição


Idade Mínima: 0
Idade Máxima: 0
Situação:
Habilitações Mínimas:
Habilitações Específicas:


Formar técnicos para enfrentar o mercado de trabalho com confiança e competências, quer seja na inspeção e controlo dos alimentos, qualidade e segurança alimentar, HACCP, auditorias.


1. Legislação para o sector alimentar – 10 horas

• Controlo dos alimentos na Comunidade Europeia
• Legislação comunitária (Diretivas e Regulamentos)
– Controlo oficial dos géneros alimentícios (Dir. 89/397/CEE)
– Higiene dos géneros alimentícios (Dir. 93/43/CEE)
– Medidas adicionais respeitantes ao controlo oficial dos géneros alimentícios (Dir. 93/99/CEE)
– Reg.CE 852/2004
– Legislação Nacional
• Formas de transposição da Legislação Comunitária para a Legislação Nacional (Decreto Lei, Portaria, Despacho Normativo)
– Decreto-lei Nº 67/98
– Decreto-lei Nº 425/99
– Decreto-lei Nº 180/00
• Livro branco sobre segurança alimentar
• Princípio da precaução
• A segurança dos alimentos em Portugal – situação atual
• Códigos de boas práticas de fabrico
• Fiscalização no sector alimentar
• Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE)
• Comissão do CODEX ALIMENTARIUS
– Significado
– Ordem
– Atribuições

2. Noções e conceitos de higiene e segurança alimentar – 25 horas

• Perigos e riscos alimentares
• Endotoxinas e Exotoxinas – modo de ação e sua repercussão na saúde pública.
• Layout e design da cozinha
• Conceito de “Marcha em Frente”
• Princípios FIFO e FEFO

3. O HACCP – 25 horas

• Sistema HACCP vs Sistemas da Gestão da Qualidade (SGQ) – ISO 22000
• Principais sistemas aplicados à segurança dos alimentos
• Sistema HACCP – seus princípios e principais componentes
• Sistema HACCP – vantagens e limitações
• Aplicação prática do sistema HACCP no sector alimentar – Caso estudo

4. Microbiologia dos alimentos e toxicologia – 45 horas

• Fontes primárias de contaminação microbiana dos alimentos
• Crescimento dos microorganismos em alimentos
• Doenças de origem alimentar
• Microorganismos importantes em alimentos
• Infeções de origem alimentar
• Intoxicações de origem alimentar
• Toxico-infeções de origem alimentar
• Outros microrganismos patogénicos
• Deterioração de alimentos
• Indicadores microbiológicos de segurança e qualidade dos alimentos
• Conservação dos alimentos.
• Biodegradação.
• Introdução à toxicologia
• Determinação de substâncias tóxicas
• Contaminantes tóxicos presentes nos alimentos provenientes de efluentes/resíduos industriais
• Aditivos alimentares
• Pesticidas
• Substâncias tóxicas formadas durante o processamento de alimentos
• Hidrocarbonetos aromáticos policíclicos
• Toxinas de origem microbiana
• Substâncias tóxicas presentes naturalmente nos animais e nos vegetais



3 – Formação a distância – E-learning (turma)


A avaliação dos participantes na formação e-Learning é realizada com base em quatro tipos de instrumentos de avaliação: Lição, Fórum, Teste, Trabalho.
A pontuação máxima formação e-Learning é de 20 valores na escala de 0 a 20 em que 0 – 4,9 – muito insuficiente, 5 – 9,9 – insuficiente, 10 – 13,9 – suficiente, 14 – 17,9 – bom e 18-20 muito bom.
Todos os trabalhos e outras atividades avaliadas têm datas limite, as quais se encontram no calendário do curso e na página inicial da própria atividade.


No final da formação os formandos aprovados receberão 2 Certificados:
• Certificado emitido pela Forseguro, que descreve detalhadamente os objetivos pedagógicos, área de formação, conhecimentos e competências adquiridas, plano curricular, avaliação obtida e metodologia de avaliação;
• Certificado de Formação Profissional emitido através da plataforma SIGO (Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa) coordenado pelo GEPE-Ministério da Educação e Ciência, tal como previsto na Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho.
O Certificado de Formação Profissional de Pós-Graduação é emitido sempre que os formandos atinjam uma classificação final igual ou superior a 10 valores. A emissão é realizada através da plataforma SIGO (Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa) coordenado pelo GEPE-Ministério da Educação e Ciência, tal como previsto na Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho.


 

Partilhar