Sistema de normalização contabilística

50.00

Conclusão

REF: 11386 Categorias: ,
Partilhar

Descrição


Idade Mínima: 0
Idade Máxima: 0
Situação:
Habilitações Mínimas:
Habilitações Específicas:


• Conhecer o enquadramento legal do SNC e as mudanças incorporadas pelo normativo nacional
• Identificar as principais modificações contabilísticas previstas na preparação das demonstrações financeiras
• Saber como harmonizar as discrepâncias entre o código do IRC e o SNC


Enquadramento geral do SNC – Sistema de Normalização Contabilística
• Âmbito de aplicação e estrutura
• Os fundamentos para a adoção do SNC decorrente da harmonização contabilística
• A função da Comissão de Normalização Contabilística
• A importância do relato financeiro na UE
• O regime especial aplicável às Microentidades
• Alterações ao SNC decorrentes da Directiva 2013/34/UE (DL 98/2015)
Aplicação dos requisitos impostos pelas normas internacionais e pela União Europeia
• Articulação com as normas internacionais de contabilidade
• A importância do relato financeiro na UE e para os seus utilizadores
• Aplicabilidade das IAS/IFRS pelas empresas cotadas
• O SNC como resposta para as restantes empresas
Instrumentos legais do SNC
• Quais os normativos legais reguladores do SNC
• Como adaptar esta regulamentação à realidade contabilística portuguesa
Quais as modificações contabilísticas previstas na preparação das demonstrações financeiras
• Estrutura conceptual e princípios orientadores na apresentação das demonstrações financeiras
• Análise das bases para a apresentação das demonstrações financeiras (badf)
• Esclarecimentos sobre os modelos de demonstrações financeiras (mdf)
• Quais os contributos do SNC para os utilizadores das demonstrações financeiras
O impacto no relato financeiro
• Quais as incidências ao nível do reconhecimento e mensuração no relato financeiro
• As especificidades para as pequenas entidades
• As demonstrações financeiras previstas no SNC
• As normas interpretativas do SNC: de que forma orientam os profissionais
A mensuração das operações
• Ativos fixos tangíveis e intangíveis, depreciações e amortizações e imparidades
• Inventários e imparidades
• Instrumentos financeiros
• Provisões
• Subsídios
• Impostos diferidos
O impacto fiscal da adoção do SNC
• As implicações fiscais sobre o rendimento das Pessoas Coletivas
• Como harmonizar as discrepâncias subsistentes entre o Código de IRC e o SNC
• A influência do conceito de justo valor em termos fiscais
• As principais recomendações no âmbito fiscal



1 – Formação presencial/em sala (turma)



Entidade Formadora Certificada pela DGERT: CONCLUSÃO – Estudos e Formação, Lda


 

Partilhar